18 de abr de 2017

Ghost in the Shell: Animação (95) X Filme (2017)



Fala nação otaku, tudo bem com vocês? Então nesse feriado finalmente fomos assistir o filme, A vigilante do amanhã - Ghost in the shell, e nesse post vamos abordar algumas diferenças básicas entre as duas obras apresentadas, a o do cinema (USA) contra a animação clássica do ano de 95 (JP).É importante lembrarmos que esse filme não é baseado apenas na obra de 95, mais sim também nas séries para TV (Ghost in the shell Alone). Já vamos avisando, se você  for assistir esse filme esperando uma adaptação da animação original, já pode tirar o cavalinho da chuva, por que você vai se decepcionar com o filme. 

ESSE POST CONTERÁ SPOILERS TANTO DA ANIMAÇÃO QUANTO DO FILME LANÇADO AGORA EM 2017.

Produção Artística: 

1 -Tá aí a primeiro coisa que se difere entre a animação e o filme recém lançado. O futuro na animação é um pouco mais sombrio e sem cor, enquanto no filme temos um futuro bem mais colorido e vivido. Isso se dá pelas diferentes formas de ver o futuro. Se pegarmos obras do final dos anos 80 e meados dos anos 90, vemos claramente uma visão bem mais sombria do futuro cyberpunk que nos dias atuais. A visão Hollywoodiana do filme se encaixa bem mais na nossa visão de futuro atual. Isso não é uma coisa ruim, por que uma coisa que podemos elogiar em A vigilante do amanhã é a excelente qualidades dos seus efeitos especias. 

2 - Outra coisa que ouvi várias pessoas falando e sobre a característica física da Major. Em diversas cenas de combate e até mesmo no seu processo de fabricação vemos a Major completamente nua, enquanto no filme ela usa uma especie de segunda pele. Nem preciso dizer o por que isso acontece, né? Mas se ainda insiste em saber o por que, é para não chocar e adaptar à sua classificação etária. 

Imagens comparativas: 

Ghost in the Shell (2017) - USA



Ghost in the shell (95) - Japão.



Ghost in the Shell (2017) - USA


Ghost in the shell (95) - Japão.



Major (95) X Major (2017)

Historia base e Personagens

Bom ainda temos como protagonista a nossa Major, porém temos algumas diferenças que fazem muito a diferença:

1-  Na animação a Major é 100% criação artificial, não temos a pessoa do passado que é a Motoko Kusanagi, que é a verdadeira identidade da Major do filme americano.

2-  A trama do filme de 2017 muda completamente se comparado a da animação original. No filme vemos um foco muito grande no passado da personagem principal, aonde temos como objetivo descobrir que é a "verdadeira" Major. 

3 - O item acima acaba por se completar nesse, que é o abandono do foco principal da animação de 95, que é a questão filosófica, biológica e moral sobre que é um ser vivo. A Major acaba se tornando uma nova forma  de romper as barreiras da evolução e te leva a reflexão sobre o que é um ser humano/ser vivo. 

4 - Relacionamento Major X Batou: Sem duvidas essa é uma das partes que mais me incomodou. No filme (2017) eles são tipo "brothers"/parceiros de ação, e a relação deles e bem superficial. Em poucos momentos vemos um maior aprofundamento dos dois personagens.
Já na animação vemos uma relação muito mais humana e intensa entre a Major e o Batou, os detalhes simples como ele desviar o olhar quando ela aparece  nua (depois de uma batalha ou cena dela trocando de roupa depois do mergulho), o trabalho de tratá-la como uma mulher, com um olhar bem mais humanizado, o simples fato dele se preocupar em cobrir ela deixam a relação deles muito mais profunda. Além disso ele até ajuda na sua construção como "humana", ajudando ela a entender os seus sentimentos e pensamentos.

Ghost in the Shell (95) - Japão.


Ghost in the Shell (2017) - USA



5 - Os demais personagens humanos (com exceção do chefe da sessão 9) são quase que totalmente esquecidos. Até mesmo um importante membro do time Kusanagi, o Togusa, é esquecido na história desse novo filme.

6 - "O vilão": Não temos mais a figura conhecida como puppet master (Mestre dos fantoches) como vilão. Agora temos um vilão chamado Kuze, que tem como objetivo a vingança contra Hanka Corporation por tudo que a empresa fez com ele e seus parceiros. No final descobrimos que a Motoko era na verdade namorada do Kuze enquanto os dois eram humanos, porém foram seperados, quando a Hanka os capturou.

Ghost in the Shell - Puppet master (95) - Japão:



 Ghost in the shell (2017) Kuze - USA.



7 - Na minha opinião vemos uma Major com movimentação muito mais humana na animação do que no filme. Vi diversas vezes a personagem interpretada pela linda da Scarlett Johasson bem travada na sua movimentação, mas essa pode ter sido uma maneira do diretor demonstrar que ela tinha um corpo robótico. A Kusanagi na animação em contrapartida tem muito menos expressão facial que a Major no filme americano. Eu sinceramente gostei muito de ver a atriz no papel de Motoko Kusanagi (Major), ela foi muito bem caracterizada.


Conclusão e Considerações Finais:

Olha se tem uma coisa que não podemos reclamar no filme é o número absurdo de referências a obra original. Porém como era esperando a versão americana foi muito hollywoodina,e transformou a obra em apenas um grande filme de ação, retirando toda a mensagem que a animação de 95 queria trazer para o seu público.
Mas Tio Laranja, o filme é ruim?  Se você encarar como uma adaptação da animação, a resposta é sim! Mas se você encara o filme como uma obra original, que apenas tem em comum o universo, ele é, no mínimo, bonito de se ver!














Avaliação
← Postagem mais recente Postagem mais antiga → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário